Notícias

Ao exibir filmes que mostram a diversidade cultural do Brasil e do mundo, a Mostra pretende contribuir com o desenvolvimento da cidadania desde cedo, permitindo que as crianças entrem em contato com as diferenças. Nada melhor que incentivar a prática da cidadania logo na entrada:...

A sessão da manhã deste domingo, 28, começou com o curta catarinense Pequeno Invasor. Esse é o primeiro trabalho da catarinense Makali Andrezzo, desenhado em três semanas e finalizado em sete dias. Makali tem formação na área de artes, já trabalhou com arte-educação e com crianças, e depois de aprender um pouco de animação criou o curta. Para ela, a animação é “trabalhosa e prazerosa”, e o trabalho foi “feito com muita alegria”.

Quem saiu de casa, mesmo com a chuva, e foi até o Teatro Governador Pedro Ivo no sábado, 27, segundo dia da Mostra, teve a oportunidade de assistir a dez filmes: nove curtas e um longa-metragem. Na primeira sessão, destinada a crianças a partir de quatro anos, foram exibidos o curta Brincadeira de Criança, de Cristiano Alves de Oliveira, e o longa Um Reizinho Chamado Macius, uma animação dos diretores Sandor Jesse e Lutz Stützner, feita na França e na Polônia, que conta a história de um menino de oito anos que precisa assumir o reino após a morte de seu pai, além de impedir as tentativas do General de virar rei. A pequena Lara, de 5 anos, não hesita ao escolher sua parte preferida: “o final”.

As sessões deste domingo, 28 de junho, na 8ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis, no Teatro Governador Pedro Ivo, reservam boas surpresas. Um dos filmes da programação é A menina-espantalho, de Cássio Pereira dos Santos, do Distrito Federal, que concorre na Mostra Competitiva, e foi eleito nesta semana o Melhor Filme pelo público na categoria internacional do Short Shorts Film Festival de Tóquio. O curta estreou no 41º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, no final do ano passado, e levou três prêmios.

Com mais de 30 filmes no currículo, o pernambucano Wildes Sampaio estreou como diretor de cinema infantil quando tinha apenas 12 anos. Foi durante a sexta série do ensino fundamental que surgiu a ideia de criar o primeiro filme. Wildes transformou “o que era para ser um simples trabalho de escola”, em um curta-metragem didático sobre os perigos da dengue. E nunca mais parou de produzir, sempre com foco no público infanto-juvenil. Hoje, aos 22 anos, o cineasta comemora o reconhecimento pelo seu trabalho: em 2009, ele participará pela primeira vez de festivais internacionais na Argentina e na Turquia.

Já premiado como Melhor Filme escolhido pelo júri popular na categoria internacional do Short Shorts Film Festival, em Tóquio, o filme A menina espantalho, de Cássio Pereira dos Santos, recebeu neste mês de julho mais dois prêmios no Uruguai. O curta participou da mostra competitiva do Divercine- Festival Internacional de Cinema Infantil de Montevidéu, onde ganhou o prêmio de melhor curta de ficção, além do prêmio da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura).

“Multiplicar os filmes para crianças em salas alternativas de exibição”: esse é o objetivo da Programadora Brasil e da Mostra de Cinema Infantil. Moema Müller, da Programadora Brasil/Cinemateca Brasileira e Luiza Lins, diretora da Mostra, assinaram o Termo de Parceria nesta sexta, 26 de junho. “A maior demanda da Programadora é de filmes infantis e filmes de família, queremos avançar nesse sentido e multiplicar o número que temos até agora que é de 68 filmes infanto-juvenis”, diz Moema Müller, coordenadora de produção da Programadora.

Acontece neste sábado, 27 de junho, o 2º pitching de incentivo à coprodução internacional para longa-metragem infanto-juvenil. O produtor do melhor projeto irá a fóruns de financiamento no BUFF (Festival de Cinema para Crianças e Jovens de Malmö), na Suécia, e no Cinekid (Festival Internacional de Filme, Televisão e Novas Mídias para Crianças), em Amsterdã, na Holanda.

A abertura oficial da 8ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis reuniu mais de 200 pessoas, na noite de sexta-feira, 26, no Teatro Governador Pedro Ivo. Luiza Lins, diretora da Mostra, deu as boas vindas a todos e comemorou as conquistas nestes oitos anos de evento. “Estamos muito felizes em colaborar com o desenvolvimento do cinema infanto-juvenil. Quero agradecer imensamente nossos parceiros nesta caminhada”, afirmou. Luiza lembrou que nos primeiros anos do evento era difícil encontrar produções brasileiras para exibir. “Hoje percebemos como essa produção vem aumentando bastante, com qualidade técnica e de conteúdo”, disse a diretora.

Os alunos de escolas públicas e particulares presentes na abertura da Mostra, no começo da tarde de sexta (26), foram surpreendidos após a sessão com a presença dos atores, figurantes e de toda a equipe técnica do filme Campeonato de Pescaria, de Luiza Lins e Marco Martins. Depois da exibição, as crianças fizeram uma dezena de perguntas para os participantes do filme.

Faça parte da nossa lista!

Receba notícias atualizadas sobre a Mostra

    Aceito receber emails da Mostra de Cinema Infantil

    logomarcas patrocinadores e realizadores
    Mostra de Cinema Infantil