Diretores latino-americanos partilham experiências sobre festivais infantis

Encontros de Cinema Infantil teve a participação de oito produtores da América Latina nesta terça-feira (19) na 20ª Mostra.

(esq. p/ dir.) Diretora da Mostra, Luiza Lins; Liliana de La Quintana, do Kolibri na Colômbia; Laura Godoy da Rede de Cineclubes, no Equador; Liset Cotera do Festival La Matatena no México e Edwin Palíz do Festival Chulpicine, no Equador. (Foto: reprodução)

*Por Juliana Rabelo

Um fio de união interligou o audiovisual infantil latinoamericano na noite desta terçafeira (19). O Encontro de Cinema Infantil da 20ª Mostra reuniu oito diretores de festivais de cinema para crianças na América Latina. 

São eles: Ricardo Casas, do Festival Divercine no Uruguai; Alejandra Fritis Zapata, do Festival Ojo de Pescado no Chile; Edwin Alexander Palíz, do Festival Chulpicine no Equador; Eileen Sanabria Herrera, da Red Unial em Cuba; Laura Teresa Godoy, da Rede de Cineclubes no Equador; Liliana de La Quintana, do Festival Kolibri na Bolívia; Liset Cotera do Festival La Matatena no México e Mariana Sena do Festival Ojo al Piojo na Argentina. 

O Encontro demonstrou como a comunidade audiovisual para crianças na América Latina formou uma grande rede no decorrer dos anos. Desta união surgiram diversas frentes em defesa do acesso aos filmes locais e independentes na infância. Um dos mais antigos festivais é o Divercine do Uruguai. O diretor Ricardo Casas comentou a importância desses eventos em ampliar o conhecimento das crianças sobre o cinema local.    

“As crianças não são o amanhã, são o presente, temos que prestar atenção nelas, ir além de apenas alimentá-las, vesti-las, mas também temos que dar produção cultural, oferecer conteúdos de qualidade e formá-las na diversidade. Se a gente só dá Disney elas não vão aproveitar outros conteúdos, o cinema do próprio país, da América Latina, o cinema independente e felizmente sempre tem produção de alta qualidade”, enfatizou Casas.

Festivais de cinema infantil são a porta de entrada para um mundo onde as crianças são as protagonistas. Os diretores fizeram questão de frisar como os jovens ficam satisfeitos em se reconhecer nas telas. “Ficamos muito felizes quando as crianças saem dos cinemas dizendo que querem ser artistas, pintores, cineastas e nós incentivamos isso. Quando as crianças se vêem nas histórias latino-americanas, elas se emocionam. A gente insiste que o cinema não é apenas entretenimento é também um espaço de identidade e de reflexão”, disse Laura Teresa Godoy, da Rede de Cineclubes do Equador.

Liliana de La Quintana trouxe detalhes sobre o Festival Kolibri, na Colômbia. Assim como a Mostra de Cinema Infantil, o Kolibri também conta com um júri infantil, em que crianças avaliam os filmes do evento. “É importante que a participação de crianças e adolescentes seja a mais completa possível, que elas possam se expressar por palavras e principalmente pelas imagens e que eles possam ser júris, dar o prêmio para a obra que mais os impacta”, afirmou.

Durante o bate-papo, os produtores relataram os desafios em produzir este tipo de evento durante a pandemia. “Há uma barreira social porque nem todos têm acesso a essas atividades, durante a pandemia os professores que iam ao teatro México diziam que as crianças não tinham condições nem de comer… nem todos têm acesso a internet ou possuem celulares”, falou Laura Teresa Godoy, da Rede de Cineclubes do Equador.

Assista ao bate-papo na íntegra:

Júri infantil da 20ª Mostra

Além do voto popular, a 20ª Mostra de Cinema Infantil conta com um júri infantil formado por crianças e jovens convidados pelo evento. Eles terão a responsabilidade de escolher o melhor curta da Mostra. 

Participam também desse júri alunos de Escolas públicas e particulares de Santa Catarina. Cada aluno assistirá aos filmes e avaliará as obras de acordo com os quesitos expostos em um formulário produzido pela equipe da Mostra. 

Assim, no dia 30 de outubro será revelado o curta preferido do júri infantil. O anúncio será feito em uma Live no canal da Mostra no Youtube, às 16h. 

Sobre a Mostra

A 20ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis segue até 31 de outubro, online e gratuita, com 140 filmes, shows de música, sessões de cinema com transmissão ao vivo e bate-papo, oficinas, masterclass, Encontros de Cinema Infantil e Encontros de Mercado – mif.kids.

Confira a programação.

Como acessar a programação 

Basta entrar no site da Mostra, navegar pelos programas de filmes, escolher os títulos que vai assistir e clicar nos links de acesso. 

Para participar das sessões e atividades ao vivo, localize o evento desejado na programação e, na hora marcada para acontecer, clique no link de acesso. 

–Você sabia que pode votar para escolher o melhor filme da Mostra Competitiva da 20ª edição?

No total são mais de 130 filmes de 23 países, uma seleção que reflete as diversas infâncias do Brasil e do mundo.

Então não esqueça de avaliar os filmes que assistir e, assim, participar da votação popular para escolha do melhor filme da 20ª Mostra.

Acesse os curtas-metragens.



Faça parte da nossa lista!

Receba notícias atualizadas sobre a Mostra

    Aceito receber emails da Mostra de Cinema Infantil

    patrocinadores da Mostra
    Mostra de Cinema Infantil