Já é um sucesso!


Uma história de oito anos. A Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis já se confirmou como um espaço de extrema importância na exibição e discussão da produção audiovisual para crianças e adolescentes. Um espaço de formação de novos públicos, de aprendizado, de debate de políticas públicas e de diversidade cultural.

Na entrevista abaixo, Luiza Lins, diretora da Mostra, fala sobre a trajetória de quase uma década e das novidades para esta edição:

Site da Mostra – Quando você realizou a primeira edição, imaginava que a mostra atingisse a amplitude atual?
Luiza Lins – Para falar a verdade, não! Pois não tínhamos filmes nacionais para exibir e a produção de filmes para crianças era muito pouca. Mas daí começamos a fazer os debates, veio o Curta Criança, o pitching e assim a cada ano íamos crescendo um pouco.

SM – Como você espera a participação do público no Teatro Pedro Ivo, a nova casa da Mostra?
Luiza – É uma novidade para o público e para nós. Mas acho que teremos uma boa participação, talvez iremos agregar mais pessoas de outras regiões. E estamos preparadas, o Teatro Pedro Ivo será transformado em umcentro cultural. Acho que vai ser um sucesso!

SM – O 2º Pitching agregou nesta edição dois projetos da Argentina. A intenção é abrir também para projetos do exterior?
Luiza – Sim, mas só para projetos da América do Sul.

SM – A cada ano aumenta o número de curtas inscritos na Mostra Competitiva. O Brasil está sedimentando uma produção para o público infanto-juvenil?
Luiza – Com certeza! E esta produção logo chegará ao longa.

SM – O secretário audiovisual do Minc, Sílvio Da Rin, vai estar presente na Mostra. O governo tem um projeto de investir R$ 700 milhões nos próximos dez anos anos na animação brasileira. Você acha que este valor vai render bons filmes voltados para o público infanto-juvenil?

Luiza – Sim, a animação fala diretamente com as crianças, e os diretores sabem disto. O mercado de cinema infantil está ávido por bons projetos, e a animação brasileira está em um ótimo momento. Será natural seguir o caminho do público infantil.

Deixe seu comentário