Reflexões sobre o cinema para jovens


O segundo final de semana da 9ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis acentua o caráter reflexivo sobre o cenário audiovisual e a produção voltada para crianças no país. A programação será aberta com uma confraternização neste sábado, às 19h30, no Teatro Pedro Ivo. No dia seguinte, o Majestic Palace Hotel, na Beira Mar, sedia o 3º Pitching e o 6º Encontro Nacional do Cinema Infantil. Na segunda-feira, a porção adulta do evento promove o 3º Fórum de Cinema e Educação, também no hotel, com direito ao lançamento em livro de dois diagnósticos centrados na compreensão de como a Mídia, a Educação e a Tecnologia se relacionam com o universo infantil.

Primeiro evento no país dedicado ao audiovisual produzido para crianças, a Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis é um termômetro do que há de mais significativo na produção nacional dedicada ao público jovem.

Até 4 de julho, 92 filmes de 14 estados e 10 países serão exibidos a um público estimado em 25 mil pessoas –pelo menos 10 mil delas, alunos de cerca de 70 escolas das redes pública e particular, que assistem gratuitamente aos filmes da Sessão Escola, em exibições agendadas previamente.

Direcionada desde o nascedouro ao fortalecimento do setor audiovisual e das políticas públicas para a infância e a juventude, a mostra reúne anualmente realizadores, produtores, educadores e pesquisadores de várias regiões do país em torno de discussões essenciais que, não-raro, geram documentos com a proposição de ações estruturantes para a área, encaminhados ao poder público.

O processo de seleção de projetos conhecido como pitching recebe este ano seis candidatos de quatro estados. O longa-metragem escolhido tem participação assegurada no BUFF Festival, da Suécia, uma importante instância de mobilização de parceiros no mercado audiovisual internacional.

“Eu e meu guarda-chuva”, de Toni Vanzolini, exibido na abertura desta nona edição, foi premiado no 1º Pitching, em 2008, o que ajudou a abrir portas para coproduções com empresas estrangeiras.

A banca do 3º Pitching é formada por Luiza Lins (Mostra de Cinema Infantil), Helder Dacosta (Tropical Storm), Cadu Rodrigues (Globo Filmes) e Mikael Svensson (BUFF Festival). A coordenação é de Carla Esmeralda (Festival Internacional de Cinema Infantil). A defesa dos projetos se dá entre 9h e 12h. Das 14h às 18h, a banca se reúne para discutir e decidir qual a proposta mais consistente.

O 3º Pitching confronta os seguintes projetos:

> “As aventuras do avião vermelho”, de Frederico Pinto e José Maia, do Armazém de Imagens (RS);
> “A oitava princesa”, de Michael Ruman, da Magia Filmes Produções (SP);
> “Corda bamba”, de Eduardo Goldesntein, da Aion Cinematográfica (RJ);
> “O menino no espelho”, de Guilherme Fiúza, da Camisa Listrada (MG);
> “O segredo do violinista”, de Jaime Queiroz, da Um Filmes (SP);
> “Teca e Tuti: Uma noite na biblioteca”, de Diego M. Doimo, da Rocambole Produções (SP).

Cinema para Jovens

O 6º Encontro Nacional do Cinema Infantil tem como tema deste ano o Cinema para Jovens, um assunto essencial no contexto da aprovação da recém-aprovada lei que determina a exibição de pelo menos duas horas mensais de filmes brasileiros nas escolas.

Participam do debate a diretora do filme “Antes que o mundo acabe”, Ana Luiza Azevedo, a produtora do filme “Desenrola”, Clélia Bessa, o produtor Abrão Scherer, da Imagem Filmes, e o diretor e roteirista André Tavares, da ONG Cinema Nosso. A mediação é do jornalista Francisco Cesar Filho, presidente do Fórum de Festivais, entidade que reúne os principais eventos audiovisuais brasileiros.

Na segunda-feira de manhã, o 3º Fórum de Cinema e Educação discute Cinema e Educação – Pesquisa e Experiências, em dois momentos: na primeira mesa, com Rosa Maria Bueno Fischer (UFRGS), José de Sousa Miguel Lopes (UEMG/UEM-Moçambique) e Monica Fantin (USFC), sob a mediação de Gilka Girardello. Após, Milene Gusmão apresenta a experiência da Rede Latinoamericana de Educação, Cinema e Audiovisual e Wagner Merije os resultados do projeto Minha Vida Mobile (MVMob), que dá oficinas a estudantes para estimular a produção de vídeos com o celular e estimula a sua utilização como ferramenta de apoio pedagógico.

Devido ao jogo do Brasil na Copa do Mundo, o evento que aconteceria à tarde, ocorre das 9h às 12h.

Em seguida ocorre o lançamento de duas publicações do Centro de Ciências da Educação (CED) da Universidade Federal de Santa Catarina: “Práticas culturais e consumo de mídia entre crianças”, organizado por Gilka Girardello e Monica Fantin, e o dossiê “Educação, Comunicação e Tecnologia”, organizado por Monica Fantin, Gilka Girardello e Elisa Quartiero para a Revista Perspectiva.

Além da programação adulta, a 9ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis prossegue até 1º de julho no Teatro Governador Pedro Ivo com bate-papos com atores e diretores, oficinas, exposição de fotografias, videoteca, sala de leitura (da Biblioteca Barca dos Livros), apresentações musicais e mostras itinerantes pelos bairros da capital e da região metropolitana de Florianópolis.

O final de semana terá ainda sete sessões, com a exibição de 40 curtas e um raro longa-metragem indicado para crianças a partir de 4 anos: O melhor amigo da Lua, da Alemanha, dirigido por Mike Maurus e Thomas Bodenstein.

A 9ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis mantém também a exibição de filmes para estudantes, de 28 de junho a 1º de julho, na Sessão Escola. E no encerramento, Arnaldo Antunes apresenta dia 4 de julho o show Pequeno Cidadão, às 15h e às 18h, no Teatro Álvaro de Carvalho.