Histórias da Mostra: Plateia criativa na sessão de domingo (1º)

Manoela Ramoniga Furtado é filha de uma escritora e, por isso, queria ter um livro seu. A menina de oito anos decidiu criar a história de um rei – inspirado no seu pai – que tem medo de tudo, até do próprio espirro. Daí surgiu o livro “Rei Medroso – Toc Toc Toc”, que tem até página no Facebook. Na tarde de domingo (1º), Manoela trouxe sua obra para a Mostra e decidiu disponibilizá-la em um dos sorteios que acontecem antes das sessões.

E o seu pai é medroso, Manoela? “Não! Na história, a filha ajuda ele a superar o medo que é de um som que ele vai escutando. Cada vez que ele foge daquele som, mais alto ele fica. E no mesmo dia a princesa tem um chá da tarde e o rei tem que ajudar ela a preparar a festa”, explica a autora.

Também encontramos outro criativo na plateia do domingo. Artur Venâncio Pacheco, de sete anos, construiu com o pai um cinematógrafo: “A gente viu num site e pensamos em fazer um desse. E daí fizemos um projeto e depois pegamos uma caixa, pegamos papelão, pegamos palito de churrasco. Aqui (apontando para um detalhe do seu cinematógrafo) recortamos daquele livrinho da Mostra. Eu desenhei esses dois (mostra outros desenhos no seu invento). E depois pegamos spray e pintamos a caixa.”

Tags:


Faça parte da nossa lista!

Receba notícias atualizadas sobre a Mostra

    Aceito receber emails da Mostra de Cinema Infantil

    logomarcas patrocinadores e realizadores
    Mostra de Cinema Infantil