Estudantes comentam filmes na Sessão Fiesc 2016


O burburinho ao final de cada curta-metragem deixa claro que a Sessão Fiesc é sempre um sucesso entre os adolescentes que passam por lá. Nesta quinta-feira, 7 de julho, foi a vez das escolas Autonomia, Sarapiquá e Escola Básica Vitor Miguel de Souza assistirem aos curtas da Sessão Jovem.

“Todos os filmes passam uma mensagem legal e fazem a gente pensar”, diz Sofia Ferrarezi, 16 anos, estudante do Autonomia. “Mãe de giz”, de Almir Correia, está entre os curtas que a adolescente mais gostou.

Entre os filmes exibidos na Sessão está “A saudade que terei”, de Kátia Klock, produzido junto com alunos da Escola Sarapiquá, que estavam presentes na sessão.  “A ideia da Kátia era mostrar o que estamos passando agora sem sentir tanto a mudança”, explica Eduarda Wilke, 15 anos, que participou das gravações e faz parte do grupo de alunos que sai da escola – que só tem até o ensino fundamental – esse ano para ingressar em outra escola que ofereça o Ensino Médio.

A Sessão Fiesc já acontece há três anos e surgiu de uma parceria da Mostra de Cinema Infantil com o Projeto Cultural, iniciado pela entidade em 2014. Entre os coordenadores do projeto está Neimar Bisewski, Maestro do Coral da Fiesc e responsável pela trilha sonora da vinheta da 15ª edição da Mostra.

“Além de sair da escola, eles (alunos) visualizam coisas que não terão acesso e vão questionar em sala o que foi abordado” conta Márcia Valério, professora de história da Escola Básica Vitor Miguel de Souza.

 

Fotos: Kélen Oliveira

 

Deixe seu comentário