Encontros de Cinema Infantil

Nesta edição que comemora 20 anos de trajetória da Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis, queremos celebrar as parcerias e aproximar ainda mais os festivais de cinema para crianças no Brasil e na América Latina.

Para isso, teremos três Encontros de Cinema Infantil, um com diretores de festivais latino-americanos, que possibilitaram a formação de uma grande rede do audiovisual para a infância; outro com realizadores de filmes que serão exibidos na Mostra; e um terceiro com profissionais brasileiros parceiros do cinema para crianças e de festivais para esse público.

Veja outros Debates, Encontros e Conversas de anos anteriores disponíveis online no canal do YouTube da Mostra.

Festivais Latino-americanos de Cinema para crianças libras

19/10 – terça-feira, 19h, no canal do YouTube da Mostra | Interpretação simultânea remota  – Espanhol – Português

► ASSISTA AQUI EM PORTUGUÊS

► ASSISTA AQUI – ESPAÑOL

Alejandra Fritis Zapata

Alejandra Fritis Zapata
Festival Ojo de Pescado – Chile

Edwin Alexander Palíz

Edwin Alexander Palíz
Festival Chulpicine– Equador

Eileen Sanabria Herrera

Eileen Sanabria Herrera
Red Unial – Cuba

Laura Teresa Godoy Andrade

Laura Teresa Godoy
Rede de Cineclubes – Equador

Liliana de La Quintana

Liliana de La Quintana
Festival Kolibri – Bolívia

Liset Cotera

Liset Cotera
Festival La Matatena– México

Nariana Sena

Mariana Sena
Festival Ojo al Piojo – Argentina

Ricardo Casas

Ricardo Casas
Divercine– Uruguai

O Cinema Atual para Crianças libras

20/10 – quarta-feira, 19h, no canal do YouTube da Mostra | Bate-papo com realizadores e realizadoras de curtas exibidos na Mostra.

► ASSISTA AQUI

Alan Medina

Alan Medina
(Primeiro Carnaval)

Camila Santana

Camila Santana
(Raone)

Ester Kawai

Ester Kawai
(Batcham)

Laly Cataguases

Laly Cataguases
(Meu melhor amigo)

Maria Augusta Nunes

Maria Augusta Nunes
(Nonna)

Patricia Alves Dias

Patricia Alves Dias
(Por que não tenho um Xerimbabo?)

Sofia Federico

Sofia Federico
(Utopia)

Melina Curi

Melina Curi
Mediação

20 anos de Cinema para crianças no Brasil libras

21/10 – quinta-feira, 19h, no canal do YouTube da Mostra

► ASSISTA AQUI

Beth Carmona

Beth Carmona

Carla Camurati

Carla Camurati

Marialva Monteiro

Marialva Monteiro

Patricia Durães

Patrícia Durães

Luiza Lins

Mediação: Luiza Lins

Faça parte da nossa lista!

Receba notícias atualizadas sobre a Mostra

    Aceito receber emails da Mostra de Cinema Infantil

    patrocinadores da Mostra
    Mostra de Cinema Infantil

    Alejandra Fritis Zapata  

    Produtora e diretora de cinema e televisão, dedicada à produção e realização de documentários, principalmente sobre a música, patrimônio imaterial, cultura tradicional e história local. Especializada em conteúdo audiovisual para e com crianças. Realizadora de oficinas e facilitadora de processos de formação audiovisual com meninos, meninas, jovens e comunidades diversas, com experiência implementada em diferentes contextos no Chile e na Ibero-América.

    Fundadora e atual diretora do Festival Internacional de Cinema  "Ojo de Pescado" para Meninos, Meninas e Adolescentes (Valparaíso, Chile) e do Seminário Internacional para Mediadores de Conteúdo Audiovisual da Infância “La Infancia Quiere Cine”, eventos que em 2021 estão em sua décima e terceira versão, respectivamente.

    Edwin Alexander Palíz   

    Equatoriano, 43 anos, diretor executivo, produtor, coordenador de projetos da Fundação Chulpicine. Experiência em: arte, logística, programação e realização de eventos. Desde 2007 realiza a produção e execução do Festival Infantil e Juvenil Chulpicine, que percorre o Equador levando o cinema itinerante.

    Tem experiência também como designer de conteúdos, realizador de oficinas, projecionista, fotógrafo, cinegrafista, editor e engenheiro de som nos diversos projetos realizados pela Fundação - projetos estes destinados à população vulnerável com especial ênfase em meninas, meninos, adolescentes e jovens, em temas sobre a erradicação do trabalho infantil, direitos, participação e meio ambiente.

    Eileen Sanabria Herrera  

    Graduação em Psicologia e Mestrado em Sociologia, ambos pela Universidade de Havana, Cuba. Com estudos de nível superior em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Javeriana da Colômbia. Trabalha como pesquisadora associada do Instituto Cubano de Pesquisas Culturais Juan Marinello do Ministério da Cultura. Seu trabalho investigativo é centrado nas áreas da família e da infância, educomunicação, consumo audiovisual e mediações familiares. A partir de 2002 passou a fazer parte do Grupo Coordenador da Rede Latino-Americana do Universo Audiovisual Infantil (UNIAL), que reúne personalidades e instituições da América e Europa. Em 2013, assumiu a coordenação da Rede UNIAL, que tem entre suas ações a pesquisa, projetos e a organização de eventos relacionados à infância e adolescência no campo da comunicação social.

    Desde 2006, faz parte do Grupo de Orientação e Terapia Familiar do Centro de Orientação e Atenção Psicológica dirigido pela Dra. Patricia Ares Muzio.

    Ministrou um grande número de conferências, palestras, workshops e espaços de capacitação em temas relacionados com seu trabalho profissional e científico em Cuba e em muitos outros países mundo afora.

    Laura Teresa Godoy Andrade 

    Graduada em Comunicação Social, Universidade Central do Equador. Gestora cultural. Cineclubista. Representante da Secretaria do Grupo Latino-AMericano da Federação Internacional de Cineclubes (2019-2021)/ Diretora do Coletivo Red de Cineclubes Ecuador/  Coordenadora Geral da Cinemateca Nacional do Equador "Ulises Estrella”, Casa da Cultura Equatoriana / Representante da Cinesud no Equador.

    Membra da Comissão Organizadora do Primeiro Seminário Internacional de Clubes de Cinema Latino-Americanos: “Historia e Historias” (2021)/ Coordenação e Organização do 8º Encontro Ibero-americanos de Clubes de Cinema Ibero-americanos: “Escola, Comunidade e Clubes de Cinema” (julho 2021)/. Coordenação, organização e produção do Festival Latino-Americano Quito FLACQ, organizado pela Cinemateca Nacional da Casa da Cultura do Equador 2015-2020. Membra do Júri do Prêmio Colibri 2020 de Melhor Filme Latino-Americano. 

    Organização e Curadoria de Mostras de Filmes Infanto-juvenil / Responsável pela programação,  Fórum e organização de Mostras, Ciclos de Oficinas da Rede de Cineclubes Equador, Cineclube Escenario Joven Teatro México. Colaboração na Curadoria, Programação e Fóruns nos Cineclubes: Cineclube Macco Orellana, Cineclube Casal Catalá, Cineclube Puff do Centro Cultural Metropolitano de Quito, 6ª Mostra Intercultural Audiovisual Infantil e Documentário Comunitário, Coletivo Río de la Raya 2013-2021, Kunturñawui, Wawas al Cine, Cinema sem Barreiras, Casal Catalá de Quito, entre outros.

    Liliana de La Quintana

    Comunicadora, videomaker, roteirista, escritora de literatura infantil e gestora cultural. Co-fundadora da Nicobis Produções em 1981, onde trabalha há 40 anos como Diretora de Projetos. Já realizou mais de 50 vídeos e conquistou diversos prêmios nacionais e internacionais. O vídeo La Abuella Grillo é o mais difundido em razão do conteúdo, a defesa da água como direito humano.

    Co-fundadora e Diretora do Festival Internacional de Audiovisual infanto-juvenil Kolibri, que este ano está em sua 15ª edição. Já desenvolveu mais de 40 oficinas de formação audiovisual para meninas e meninos em território boliviano, com cerca de 100 trabalhos realizados por eles. Júri internacional dos principais festivais de audiovisual da América Latina.

    Editora-chefe do primeiro telejornal infantil PICA em 2011 e que ainda está em exibição na rede de televisão mais importante (do país?) .

    Co-fundadora e membro da Academia Boliviana de Literatura Infantil e Juvenil. É autora de 32 livros para meninos e meninas presentes em antologias nacionais e internacionais.

    Liset Cotera

    Graduada em Comunicação Social / Universidade Autônoma Metropolitana - Unidade Xochimilco no México. Fundadora e diretora do Festival Internacional de Cinema para Crianças (e para não tão crianças assim…) e da La Matatena, Associação de Cinema para Meninas e Meninos, A.C.

    Produtora de cinema realizado por meninas e meninos; especialista em produção, desenho e criação de metodologias para ensinar e apresentar às crianças o mundo da imagem em movimento no México há 25 anos.

    Mariana Sena

    De Rosario, Santa Fe, Argentina, é graduada em Comunicação Social pela Universidade Nacional de Rosário. Vice-diretora do Centro Audiovisual de Rosário, órgão de gestão pública do Ministério da Cultura e Educação do Município de Rosário desde 2009. Produtora executiva de Ojo al Piojo  Festival Internacional de Cinema Infantil, Festival Nacional de Cinema Una Mirada Mayor e Festival Latino-Americano de Rosário.

    Como gestora cultural, participou da coordenação geral de diversas áreas e programas que articulam a preservação dos arquivos audiovisuais, produções de conteúdos e o desenvolvimento de atividades de formação e divulgação que contribuem e acompanham o crescimento do setor audiovisual. www.centroaudiovisual.gob.ar

    Ricardo Casas

    Estudou Cinema no Uruguai (Cinemateca Uruguaia) e no exterior (Brasil, Suíça, Argentina) entre 1974 e 1990. Realizou vários curta-metragens em cinema e vídeo, primeiramente durante os cursos de cinema (Apenas Una Ilusión, Liliana, etc). Seu primeiro documentário é de 1998, sobre o músico uruguaio Eduardo Darnauchans. Em seguida, em 2004, estreou o premiado Palabras Verdaderas, sobre Mario Benedetti.

    Participou de várias produções uruguaias e de outros países (“20 Anos, 20 Poemas, 20 Artistas”- Argentina, Las Melillas - Espanha, Os Sonhos de Álvaro - Alemanha, etc.). Trabalhou por 29 anos na Cinemateca Uruguaia, basicamente na coordenação da instituição, onde criou o Espaço Uruguai em 1991. Também abriu a Escola de Cinematografia em 1995 junto a Beatriz Flores. Dirige Divercine, o Festival Internacional de Cinema Infantil e Juvenil do Uruguai, desde 1992, festival que chegou a ser exibido em cidades de todos os países da América do Sul e no interior do país.

    Organiza Atlantidoc, Festival Internacional de Documentários do Uruguai, desde 2007, com importante ênfase na formação profissional, no qual há sete anos criou a Mesa de Cinema e Educação. Dirigiu o programa La Banda da TNU, feito por e com crianças, ao longo de 2006. Participou de vários júris de festivais de cinema e TV pelo mundo, de Gramado a Berlin. Publicou os livros “Dez Anos de Vídeo Uruguaio, 1985-1995” e “25 anos de Divercine”.

    Documentarista premiado, atualmente realiza documentário sobre o ex-Presidente do Uruguai Máximo Santo e outro sobre abuso infantil chamado Pasos en la Niebla. Vencedor do Silver Morosoli, prata, da Gestão Cultural 2019.

    Alan Medina   

    Alan Medina é formado em Cinema pela Universidade Anhembi-Morumbi (2010) e em Artes Dramáticas pela EAD/USP. Atualmente, dirige vídeos na Eva Filmes, atendendo clientes como Casas Bahia, Pontofrio e Carrefour. Como freelancer, dirigiu vídeos institucionais e de treinamento para grandes marcas como Natura e Tok Stok. Roteirizou, produziu e dirigiu Obrigado Doutora, curta vencedor de 9 prêmios, incluindo Melhor Filme no 48 Hour Film Project Brazil 2011.

    Em 2016, co-dirigiu ao lado de Theodoro Cochrane o curta Para Salvar Beth, com Antonio Fagundes e Marilia Gabriela. O filme participou de importantes festivais brasileiros e internacionais. Como ator, atuou em longas, filmes publicitários e em diversas séries para os canais HBO, Globo e GNT, sendo a mais recente "Lili A Ex", com direção de Luis Pinheiro e Quico Meirelles.

    Camila Santana   

    Camila Santana é produtora audiovisual com foco em conteúdos para o público infanto-juvenil. Produziu e dirigiu diversos curta-metragens, incluindo Raone, vencedor do Prêmio Prêmio Prix Jeunesse Iberoamericano de 2021 e Coisa-Malu, que recebeu dois prêmios de melhor filme em festivais nacionais. É também curadora da Mostra de Cinema para crianças e adolescentes Recria Cine, que está em sua 5ª edição. Atua como arte-educadora, tendo realizado aulas de audiovisual para crianças e adolescentes em unidades do SESC e escolas públicas.

    Ester Kawai   

    Ester Harumi Kawai é ilustradora e animadora 2D, natural de São Paulo, Brasil. Graduou-se em Letras Português/Inglês na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (USP) em 2017. Sua segunda graduação foi em Produção Audiovisual em 3D pela Faculdade Melies, onde produziu em grupo o curta-metragem Lembramos de Cor como trabalho de conclusão do curso, em 2019. Logo em seguida, concluiu uma pós-graduação em Animação 2D pela mesma faculdade.

    Devido à pandemia, seu curta de conclusão da pós-graduação, Batchan, foi produzido inteiramente em casa, durante a quarentena. Ester considera suas experiências em família, sua religião e a herança da cultura japonesa como principais inspirações para seus trabalhos, e espera poder produzir mais filmes que possam impactar as pessoas de maneira positiva.

    Laly Cataguases   

    Laly Cataguases é roteirista e diretor mineiro, nascido em Cataguases, residente em BH. Trabalha na área audiovisual há 21 anos. Roteirizou e dirigiu os curtas Meu melhor amigo, O voo da cegonha, Elza Geralda e Vida, simplesmente, além de ter trabalhado em diversos filmes como continuísta e assistente de direção. O curta Meu melhor amigo está dando origem a uma série para TV (O Fabuloso Seixo), em fase de desenvolvimento. Seus projetos atuais são a direção de dois curtas infantis em animação, ambos em fase de captação de recursos federais.

    Maria Augusta Nunes

    Maria Augusta V. Nunes é cineasta e sócia da Novelo Filmes. Escreveu e dirigiu o curta Apenas o que você precisa saber sobre mim, premiado no Festival CINÉLATINO Rencontres de Toulouse. É roteirista do curta infantil Quem não tem cão e co-roteirista do curta Flecha Dourada. É formada em cinema e vídeo pela Unisul (2007) e possui doutorado em Literatura pela UFSC.

    Patricia Alves Dias

    Patricia ALVES DIAS (1965, Olinda), realizadora e criadora de cinema infanto-juvenil, tem especialização em cinema de animação pelo National Film Board of Canada (NFBC, CA). Foi artista visitante dos Estúdios de Animação J. Trnka em Barrandov, na República Tcheca.

    É mestre em educação com especialização em infância, juventude e cultura contemporânea (UERJ, BR). Tem conteúdos premiados no UNICEF/OETI Barcelona, Animamundi, Prix Jeunesse America Latina, Nueva Mirada, Ottawa Animation, Festival de Havana, CINANIMA e Prêmio Especial da Fundação Japan Prize. Foi finalista na UNICEF Premio ibero-americano de Comunicación de los Derechos de La Niñez y la Adolescência e seu projeto Carta Animada pela Paz recebeu o título da UNESCO/Paris de Melhores Práticas de Mídia da América Latina.

    Assina a direção e roteiro da série O MENINO QUE ENGOLIU O SOL (13 x 7’), finalista no Japan Prize 2020, e produzida com recursos públicos do FSA/PRODAV/EBC. POR QUE NÃO TENHO UM XERIMBABO? é seu filme ensaio mais atual, realizado durante a pandemia do Covid-19, com recursos do edital Cultura nas Redes do Governo do Rio de Janeiro.

    Sofia Federico

    Sócia-fundadora da Benditas Projetos Criativos, onde atua desde 2013 na criação e direção de conteúdos audiovisuais e na coordenação de projetos de formação. É mestranda em Comunicação e Cultura Contemporâneas (PósCom/UFBA) e integrante do grupo de pesquisa A-tevê (Laboratório de Análise de Teleficção). Como diretora e roteirista, realizou diversos conteúdos para cinema e TV, como Cega Seca (2003), Caçadores de Saci (2005), Vermelho Rubro do Céu da Boca (2005), Navegantes (2015), séries Jazz na Madrugada (2014), Francisco só quer jogar bola (2020) e Tabuh! (2019), obra finalista do Prix Jeunesse Iberoamericano de 2019.

    Está finalizando a série documental Todos os Sonhos e em captação do longa de ficção Tempo Meio Azul Piscina, roteiro contemplado com o Prêmio Cabíria em 2019, e vencedor do FRAPA – Festival de Roteiro Audiovisual de Porto Alegre em 2020. No setor público, foi Diretora de Audiovisual da Fundação Cultural do Estado da Bahia entre os anos de 2007 e 2012.

    Melina Curi

    Diretora e Produtora brasileira de Cinema e Televisão, formada em Cinema pela Universidade do Sul de Santa Catarina em 2008, se especializou em direção de cena em Cuba e em cinema experimental em Londres. Melina Curi começou a trabalhar na Mostra em 2005, entrando para o time de curadoria do evento em 2009. O seu catálogo profissional, ao longo de 17 anos de carreira, inclui dramas, comédias, videoclipes, documentários e programas para televisão aberta e fechada. Trabalhou para redes nacionais, como RecordTV, SBT e GNT, e internacionais como E! Entertainment, MTV e Vice.

    Melina dirigiu o curta Irlandês “Follies of Youth” (Folias da Juventude), que recebeu 10 prêmios pelo mundo, dentre eles o de Best Comedy Short Film, no Worldfest-Houston Film Festival, no Texas. Em Londres, realizou o videoclipe Sparkles and Wine, para a banda francesa Opale, lançado pela NOISEY/VICE no Reino Unido, chegando ao ranking dos 10 melhores videoclipes do ano. Participou do 48H Film Project em Los Angeles, dirigindo - do roteiro à edição - um curta de ficção científica no período total de 48 horas. Para o Brasil, ela trouxe prêmios com seu curta-metragem infantil “O Samba Daqui”, interpretado pelo ator Sérgio Mamberti, que teve o lançamento na Mostra em 2010 e, em 2020, recebeu certificado de reconhecimento de cinema internacional de alto nível para crianças, na Rússia.

    Beth Carmona

    Beth Carmona é Sócia/ Diretora da Singular, Mídia & Conteúdo. Formada pela ECA/USP. Consultora, produtora executiva e gestora de projetos audiovisuais especializados na área infantojuvenil. Presta consultorias para canais como Futura, Gloob, TV Cultura, TV Escola,  NatGeo, Cartoon Network,  Pakapaka, WDR e NHK.  Antes, atuou como Diretora  na TV Cultura de SP, Discovery Kids  América Latina,  Disney Channel SP,   e grupo Roquette Pinto, TVE RJ e Rádio MEC, onde supervisionou produções e programações. Profissional atuante no conceito de qualidade na mídia para crianças e jovens, representa o Brasil e a América Latina em eventos e concursos nacionais e  internacionais. Diretora geral do Comkids, plataforma informativa que  também realiza o Festival comKids, seminários e workshops com objetivos de desenvolvimento e formação profissional para o setor. Entre as produções que participou destaca-se Castelo Ra tim Bum, Mundo da Lua, "Um Menino Muito Maluquinho, "Curta Criança",“ Tonky”,  “Mundo Ripilica”, "O Dia que me Tornei mais forte" e “O Diário de Pilar”. 

    Carla Camurati

    Após uma premiada carreira de atriz, Carla iniciou sua trajetória como diretora, produtora e distribuidora e teve um papel decisivo para o audiovisual brasileiro, com filmes icônicos em seu currículo, como Carlota Joaquina, a Princesa do Brazil (1995) e Getúlio (2014). Foi articuladora da Academia Brasileira de Cinema e Presidente da Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro por 8 anos, além de Diretora de Cultura dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. É a criadora e diretora do FICI – Festival Internacional de Cinema Infantil, que acontece anualmente desde 2003. Em 2019, lançou a sua plataforma MulheresMix, feita por e para mulheres acima de 40 anos. Em 2021 finaliza o seu quinto longa-metragem como diretora, o documentário 8 Presidentes 1 Juramento - A História de um Tempo Presente, com previsão de lançamento para novembro.

    Marialva Monteiro 

    Formada em Filosofia PUC RJ, e Mestrado em Filosofia da Educação pela Fundação Getúlio Vargas, RJ. Fundadora do CINEDUC – Cinema e Educação, entidade que completou 50 anos em 2020 e se dedica à formação de professores, jovens e crianças em linguagem audiovisual.  Co-autora com Bete Bullara do livro “Cinema: uma janela mágica” em sua 3ª edição. É autora de Educação pelo Cinema, cinema na educação com Regina Machado. in “Cine Clube, Cinema e educação” (Ed Praxis, 2011). Curadora do Cinema Criança de 1989 a 1997 e da Mostra Geração no Festival do Rio de 1999/2008, atuou como jurada em festivais internacionais em vários países como Rússia, Bulgária, Índia, França, Polônia, Venezuela, Argentina e Bolívia.

    Patricia Durães

    Educadora e musicista. Desenvolve projetos com cinema e educação na formação de novas platéias. É sócia dos circuitos Espaço Itaú de Cinema e Cine Espaço com salas de exibição em 7 cidades do país. 

    Fundadora e diretora do Projeto Escola no Cinema que utiliza a linguagem cinematográfica no processo educativo e o Clube do Professor, ação cultural que hoje contempla 6 cidades. Coordenadora dos cursos e oficinas realizados no Espaço Itaú de Cinema, sobre as mais variadas áreas da produção cinematográfica e de outras linguagens, ministrados por profissionais que fazem e pensam cinema. 

    Na distribuidora Espaço Filmes, foi responsável pelo lançamento de vários filmes infantis no Brasil como: “Línea no Jardim de Monet” de Lena Anderson e Christina Björk, “Kiriku e A Feiticeira” e “Príncipes e Princesas” de Michel Ocelot e, em 2014,  a animação brasileira indicada ao Oscar, “O Menino e o Mundo” de Alê Abreu e o clássico, inédito no Brasil, “O Pequeno Fugitivo” de Morris Engel, Ruth Orkin e Ray Ashley. 

    Coordenou 14 edições do Festival da Juventude da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e é curadora e co-realizadora da Ciranda de Filmes, Mostra de Cinema que promove a reflexão sobre educação, infância e juventude, para educadores, pais e interessados nos temas.

    Luiza Lins

    Produtora cultural com atuação no audiovisual para a infância. Realiza a Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis há 20 anos, evento que possibilita acesso gratuito ao cinema nacional e internacional para crianças. Criou o Circuito de Cinema Infantil para levar os filmes da Mostra para os municípios de Santa Catarina e para todo o país e, o Cineclube da Mostra, no Cinema do Centro Integrado de Cultura - Florianópolis/SC, para proporcionar durante todo o ano, gratuitamente, a experiência de cinema para as crianças.
    Realizou curtas infantis com histórias e brincadeiras de crianças da Ilha de Santa Catarina. Atuou como curadora de filmes para festivais brasileiros.Fez parte do GT Cinema nas Escolas, criado pelo Ministério da Cultura em parceria com o Ministério da Educação, para elaborar proposta para a regulamentação da Lei 13.006, que estabelece duas horas mensais de cinema brasileiro nas escolas de ensino básico.