O Prêmio Amigo do Cinena Infantil foi criado para homenagear pessoas que ajudam a desenvolver o cinema infantil no Brasil. É uma forma de reconhecer o intenso trabalho de profissionais que se dedicam na realização de filmes para crianças e em iniciativas sobre o fazer e o pensar cinema para o público infanto-juvenil num país que dá pouca importância para esta faixa etária. Estamos certos de que o cinema pode ser um grande aliado da educação e na formação da cidadania de uma criança.

Em 2005, primeiro ano no Prêmio Amigo, a Mostra entregou o troféu a Felicia Krumholz, Carla Esmeralda, Beatriz Lindenberg, Regina Assis, Pedro Rovai e Marialva Monteiro.

Em 2006, receberam o prêmio a atriz e diretora Carla Camurati pelo trabalho desenvolvido no Festival Internacional de Cinema Infantil; Esther Faller, da TVE, pela parceria da TV com o MinC no Edital Curta Criança, Gabriel Guimard , criador do Portal da Cultura para Criança, João Batista Melo, produtor e diretor do premiado curta-metragem “Tampinha”, Karen Acciolly, atriz e diretora teatral, organizadora do Festival Internacional de Intercâmbio de Linguagens, Andrés Lieban, diretor e presidente da Associação Brasileira de Animação e Anna Karina Carvalho, produtora do Festival Internacional de Cinema Infantil de Brasília.

Na 7ª Mostra o prêmio foi entregue para Helvécio Ratton, diretor do filme “Pequenas Histórias”, Gero Camilo, ator, Frederico Cardoso (Programadora Brasil), Ana Paula Santana (epresentane do MinC), pela iniciativa do Edital Curta Criança, para a Diler & Associados (RJ), produtora que mais lança filmes infantis no país, e para Mário Sérgio Cardoso, da TV Rá-Tim-Bum, pela qualidade do conteúdo da emissora dirigida ao público infantil.

Na 8ª Mostra, os homenageados foram o cineasta francês Michel Ocelot, criador do personagem Kirikou e Carla Camurati, diretora do Festival Internacional do Cinema Infantil (FICI).

Na 9ª Mostra, os contemplados foram a cineasta Ana Luiza Azevedo, a produtora Clélia Bessa e André Tavares, do Cinema Nosso.

Em 2011, para marcar os 10 anos da Mostra, o Prêmio foi entregue para o escritor e cartunista Ziraldo, criador do Menino Maluquinho, um dos maiores fenômenos editoriais no Brasil de todos os tempos.

Na 11ª edição da Mostra, em 2012, o homenageado com o Prêmio Amigo foi o diretor uruguaio Walter Tournier.

No ano seguinte, o homenageado da 12ª edição foi o poeta brasileiro Manoel de Barros, um dos mais aclamados na contemporaneidade, que recebeu o Prêmio Amigo da Mostra pelas mãos da bisneta Stella Barros.

Em 2014, foram três premiados: Alê Abreu, diretor de “O menino e o mundo”, pela ousadia e participação na Mostra, que já exibiu quatro filmes do realizador; a equipe de “O menino no espelho”, pela trajetória do filme e João Batista Melo, por sua contribuição ao cinema voltado para crianças. O escritor, realizador e pesquisador é responsável pelo primeiro estudo feito no Brasil sobre cinema infantil, que deu origem ao livro “Lanterna mágica”. Segundo Luiza Lins, “a pesquisa de João nos possibilitou cobrar políticas públicas para o audiovisual infantil e nos alimentou nessa luta”.

Em 2017, na 16ª edição, Rodolfo Pinto da Luz, presidente da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), recebeu o Prêmio Amigo do Cinema Infantil no dia do encerramento da Mostra.