A 15ª edição da Mostra ocorreu ao longo de dez dias, entre 2 e 10 de julho, com programação aos finais de semana no Teatro Pedro Ivo, sessões escola no Cinema do CIC e mostras itinerantes pelas escolas de Florianópolis, com um público superior a 10 mil pessoas.

Assiste o vídeo acima e conheça os bastidores e tudo o que rolou na Mostra 2016.

Mostra Competitiva

Pela primeira vez, a Mostra realizou um júri com as crianças. O júri oficial mirim escolheu a animação Virando gente, de Analúcia Godoi, de São Paulo. No curta, um bebê fala da sua percepção do mundo ao nascer. O que mais encantou os jurados na narrativa foi a trajetória do bebê diante da experiência de chegar ao mundo – entre elas a descoberta da luz. Com idades de 10 a 12 anos, o júri foi formado por Fabiana Alfen, Marina Koehler, Guilherme de Souza, Helena Dutra e Davi Lopes.

Além da Melhor Ficção, título concedido ao curta , de Leandro Tadashi (SP) e Melhor Animação para O jovem príncipe, de Ducca Rios (BA), o júri adulto, concedeu o Prêmio de Melhor Documentário para Meninos e Reis, de Gabriela Romeu (SP), pela expressividade de filmes do gênero nesta edição da Mostra.

 foi escolhido pelo tratamento sensível da relação afetiva de um menino com a sua avó. O jovem príncipe levou a Melhor animação principalmente pelo roteiro e eficiência na comunicação com as crianças sobre uma história de amizade e de respeito a escolhas pessoais. A professora de cinema Marta Corrêa Machado, a produtora Lícia Brancher e o diretor Lucas de Barros formaram o júri adulto.

No curta No fim da trama, realizado em Santa Catarina, e escolhido pelo júri popular, um menino de 10 dez anos está apreensivo porque tem que superar um desafio. Guto, produtor e representante do filme na entrega dos prêmios junto com a atriz Camila Araújo, destacou a importância da escolha do júri popular para a carreira do filme junto ao público.

A Associação Brasileira de Cinema de Animação concedeu Menção Honrosa para o curta Fora da caixa, de Edemar Miqueta (SC), principalmente porque é uma homenagem cuidadosa feita sobre silhuetas feitas com recortes de papel inspirada no cinema de Lotte Reininger. O representante da ABCA também estava presente no encerramento do festival Wiliam Andrade.

Filmes Premiados

Virando gente

O jovem príncipe

Meninos e Reis

No fim da trama

Fora da caixa

Oficinas

Crianças de 5 a 12 anos participaram da Oficina de Produção Audiovisual da 15ª edição da Mostra. Os pequenos escolheram o CD Guerra de Travesseiros, do Dorso do Rinoceronte, para criar um roteiro e produzir um filme. Com a ajuda de Rita da Silva e Kurt Shaw, diretores da Usina da Imaginação e ministrantes da oficina, as 13 crianças fizeram observações sobre a letra para decidir o que teria no curta. “Pode ser uma coisa feita por atores ou animação” diz Felipe, 10 anos, respondendo a pergunta de Kurt sobre o que é um filme. O garoto, que já participou da Oficina no ano passado, conta que gosta de se envolver no projeto porque adora teatro e se interessa pelos sets de gravação. Leia mais sobre a Oficina realizada em 2016.

Público Adulto

A edição 2016 da Mostra realizou o Fórum de Cinema e Educação com Sessão dos Documentários CatarinensesEntre Gerações”, de Chico Faganello, e a “A saudade que terei”, de Kátia Klock. Os dois filmes gravados com estudantes escolas de Florianópolis suscitaram debates entre alunos, professores e diretores de cinema sobre a experiência de participar de produções cinematográficas e outras formas de vivenciar o conhecimento. Ao final, houve distribuição de dois DVDs com curtas, como contribuição da Mostra de Cinema Infantil para a aplicação da Lei 13.006, que estabelece a exibição de filmes nacionais em escolas por no mínimo duas horas por mês.

O público adulto ainda contou com o Encontro Nacional do Cinema Infantil com a presença de Rodrigo Gava, Marco Altberg, Alan Minas, Igor Amin, Patrícia Monegatto, Gabriela Romeu e Vanessa Fort.

Fotos 2016

Catálogo 2016