Os números da Mostra

Os números da Mostra


A 17ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis recebeu aproximadamente 15 mil pessoas de 31 de junho a 8 de julho. Foram exibidos 70 filmes brasileiros e internacionais, entre eles 51 curtas nacionais que concorreram à premiação. Em parceria com o Canal Futura, o festival concedeu quatro prêmios no valor de R$ 5 mil: Melhor Animação e Melhor Ficção, escolhidos pelo Júri Oficial; Prêmio Júri Popular, concedido pelo voto do público; e o Prêmio Especial, apontado por um júri formado por crianças. Pelo menos onze realizadores passaram pela Mostra nos nove dias de festival. A pluralidade deu a tônica pela quantidade de curtas de diretores e produtores negros, fomentados por políticas afirmativas do Ministério da Cultura.

Durante os dias de semana ocorreram as Sessões Escola, no Teatro Pedro Ivo, e itinerantes em escolas, espaços culturais e organizações sociais. A itinerância da mostra passou pelas escolas Herondina Medeiros Zeferino, em Ingleses, Brigadeiro Eduardo Gomes, no Campeche, e Vila Olímpia, no bairro Jurerê. Passou também pela Fundação Cultural Badesc, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e Jurerê Open Shopping. Das 84 escolas, 30 públicas receberam transporte gratuito, fornecido pelo festival para a Sessão Escola.

Pela primeira vez, a mostra ofereceu as oficinas de Claquete e Dublagem e voz original. As duas oficinas atenderam 13 pequenos cineastas. A oficina de Dublagem teve como resultado a dublagem pelos participantes na Sessão de Curtas Internacionais, realizada no último sábado (7).

A Mostra realizou o Fórum de Cinema e Educação voltado a professores da rede pública com a palestra “A experiência lúdica e a liberdade de brincar na escola”, ministrada por Nélio Spréa, diretor dos filmes “O fim do recreio” e “A escola do ensino fenomenal”.

O Encontro Nacional do Cinema Infantil abriu a programação adulta, com a participação de oito diretores de filmes que foram exibidos no festival. Eles debateram a pluralidade das narrativas e formas de financiamento para projetos voltados à infância.

A programação integrou ainda a conversa com André Catoto Dias, Gustavo Steinberg e Gabriel Bitar, diretores do filme de animação Tito e os Pássaros, longa-metragem selecionado no Festival de Annecy 2018.

No último domingo da mostra, ocorreu o lançamento da edição fac-similar artesanal do livro “Novos Contos”, publicado originalmente em 1954 quando o autor, Rogério Sganzerla, ainda era criança.

O palquinho da Mostra apresentou quatro apresentações musicais, comprovando que o festival vai além da valorização da sétima arte.

A mostra continuou priorizando a inclusão de crianças cegas, surdas e ensurdecidas. Neste ano foram oferecidas quatro sessões com audiodescrição, libras e legendas aos finais de semana.

Nesta edição o festival voltou a ter o grande show de encerramento com “Tchiribim Tchiribom – Cantando pelo Mundo com a Fortuna”. Para a alegria da garotada a pipoca foi oferecida gratuitamente também no show de encerramento.

 

Premiados

Quatro curtas nacionais foram premiados entre os 51 exibidos na 17ª edição da Mostra de Cinema Infantil. Em parceria com o Canal Futura, a Mostra concedeu R$ 5 mil para cada prêmio. “Lá do alto” (RJ), de Luciano Vidigal, recebeu o prêmio de Melhor Ficção, escolhido pelo Júri Oficial. “Sobre a gente” (ES), produzido por alunos do Projeto Animação do Núcleo Animazul (ES), conquistou o prêmio de Melhor Animação também do Júri Oficial. A Piscina de Caíque (GO), de Raphael Gustavo da Silva, recebeu o Prêmio Especial, apontado por um júri formado por crianças. “Dia das Nações (RS), de Luli Gerbasi, conquistou o Prêmio Júri Popular, concedido pelo voto do público. Receberam Menção Honrosa do Júri Especial a ficção Fábula de Vó Ita (SP), de Thallita Oshiro e Joyce Prado. O Júri Oficial concedeu Menção Honrosa à ficção Próxima (SP), de Luiza Campos, e à animação Menino Cabeça de Flor (BA), de Vanessa Heeger. Nos nove dias de Mostra cerca de 70 filmes, entre curtas e longas nacionais e internacionais foram exibidos no festival.

Mucio Althoff, assessor de Relações Institucionais da Eletrosul, que apoia a Mostra há 15 anos, e Julio César Lunardi, diretor administrativo da Engie Brasil Energia, que patrocina desde a primeira edição, receberam o troféu Amigo do Cinema Infantil.


Deixe seu comentário